Toodles Blog | Carta de Despedida ao Wishes
Dicas, Disney, Walt Disney World, Universal Studios, Sea World, Hospedagem, Busch Garden, Compras, Alimentação, atrações, Florida, Orlando, Miami, Universal Florida, Disney Hollywood Studios, Disney Parques, Island of Adventure, Wizarding World Of Harry Portter, Animal Kingdom, Disney Springs, Magic Kingdom, Epcot, Disney World, Blizzard Beach, Typhoon Lagoon, Discovery Cove, Kennedy Space Center, Legoland Florida
Dicas, Disney, Walt Disney World, Universal Studios, Sea World, Hospedagem, Busch Garden, Compras, Alimentação, atrações, Florida, Orlando, Miami, Universal Florida, Disney Hollywood Studios, Disney Parques, Island of Adventure, Wizarding World Of Harry Portter, Animal Kingdom, Disney Springs, Magic Kingdom, Epcot, Disney World, Blizzard Beach, Typhoon Lagoon, Discovery Cove, Kennedy Space Center, Legoland Florida
17037
post-template-default,single,single-post,postid-17037,single-format-standard,qode-listing-1.0.1,qode-social-login-1.0,qode-news-1.0.2,qode-quick-links-1.0,qode-restaurant-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-13.0,qode-theme-bridge,bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.5,vc_responsive

Carta de Despedida ao Wishes

A gente nunca sabe o quão imenso é o impacto que certos momentos vão deixar em nós – até que você se pegue pensando nele um tempo depois.

Eu lembro que, quando pequena, a Disney World não passava de um sonho perfeito de princesa para mim. Ao sair da perua, prestes a entrar na escola de educação infantil em que me formei – que se chama Walt Disney – olhava para cima e via aquela estrutura idêntica à de um castelo medieval e, da sala da torre mais alta, aprendi a ler e escrever. Para mim aquilo já bastava, já era até algo bem fora da realidade. Como assim, em meio à tantas escolas na cidade, eu fui estudar justamente na que era um castelo de verdade?
Quando eu tinha 6 anos, um colega de classe me contou que iria visitar “a Disney” e ver o Castelo da Cinderela.
“Pff, até parece!” – eu zombei da cara dele… Oras, na minha mente esse lugar era um reino muito distante e pra chegar lá era praticamente impossível! Certa da minha opinião, continuei minha lição e esse assunto nunca mais veio à tona.

Com 17 anos, pisei naquele reino distante que eu tanto teimei e conheci o Wishes. Não foi à toa que na hora de sair do parque, logo após o show, quase me perdi do grupo: fiquei ali processando tudo o que eu tinha acabado de assistir. Ao lado de minhas amigas (e nossos sorvetes de menta que eu nunca esqueço o gosto) assisti ao espetáculo noturno mais esperado do Magic Kingdom, combinando fogos de artifício, música e a dança de cores do castelo, que mudava de acordo com o tema dos filmes. O sonho daquela menina de 6 anos havia, finalmente, se tornado realidade.

Aos 20 estava lá, de volta, fazendo parte do show que a Disney proporciona pro mundo – e tendo Wishes como a minha fonte de inspiração. A música ambiente do restaurante futurístico em que trabalhei abaixava e os altos falantes passavam a tocar a música que me trazia tanto alívio. Em meio àquelas mais de 1000 pessoas pra lá e pra cá procurando um lugar para comer, eu encontrava um momento de paz, acalento e a sensação deliciosa de pertencer àquele lugar. No Natal, uma família aproveitava a vista privilegiada do Cosmic Ray’s para o Castelo da Cinderela e o pai me perguntou: você não sente falta de casa? Antes que eu pudesse responder qualquer coisa, Wishes começou e, com um sorriso no rosto e olhos marejadas, respondi: “Sim, mas isso aqui compensa.”. Apontei para o Castelo e como resposta, um “Merry Christmas” acompanhou um longo suspiro daquele pai.

Maio de 2016. Foi o início da minha segunda jornada como cast member no Magic Kingdom e quando o Wishes me mostrou que ele era muito mais do que tudo aquilo que eu já pensava. Mesmo assistindo ao show todas as noites, ele me surpreendia com uma explosão de sentimentos e formação de memórias tão deliciosas que fica até difícil de enumerar, mas posso te garantir que é o frio na barriga mais gostoso de se sentir! Ele não era apenas mais um show inspirador, ele se tornou uma lição de vida. E toda noite, na companhia de meus colegas de trabalho ele estava lá para nos abraçar. Para nos fazer cantar, dançar… SONHAR. Sonhar mais alto que puder e, ainda assim, manter os pés no chão.

Wishes é aquela tradição mais e menos esperada – simultaneamente – por quem completa um programa de intercâmbio em Walt Disney World: é o momento oficial do mix de emoções de todas aquelas pessoas, que invadem o Magic Kingdom com orelhinhas do Mickey de formandos. É a verdadeira descrição de “bittersweet feeling”.

Eu fico pensando em todas as vidas que se entrelaçaram, que se recuperaram, que se iniciaram ao cenário de Wishes durante esses pouco mais de 13 anos. Em todas as risadas, suspiros, beijos e promessas que Wishes proporcionou em seus 12 minutos. Doze minutos tão deliciosos que parecem uma eternidade.

Hoje eu me despeço dele, mas como Jimmy Cricket afirma ao fim do próprio show “vocês nunca ficarão sem ‘Wishes’, ele(s) está(ão) brilhando dentro de vocês… porque é aí mesmo, meus amigos, onde a magia vive.”.

Obrigada Wishes.
Por mostrar pra Priscilla de 6 anos que ela podia, sim, alcançar as ideias mais impossíveis;
Por estar lá para me lembrar dos meus ideais;
Por ser palco de tantas memórias maravilhosas;
Por realizar o sonho de milhões de pessoas ao redor desse mundão.
Muito obrigada!

Formandos dos programas Super Greeter e Hospitality – agosto 2016: sorriso no rosto após nos debulharmos em lágrimas no Wishes. Mais uma vez, seguindo a tradição, que agora será passada para Happily Ever After.

*créditos da imagem em destaque para MickeyTips.com

No Comments

Post A Comment